Ambience

Ficha Técnica Casa Tânia Trajano

Localizada no condomínio residencial Sainte Hélène em Campinas-SP, no distrito de Sousas,  a casa segue as premissas da sustentabilidade em todo o seu ciclo de vida e integra conhecimento e inovação tecnológica aos aspectos econômicos, ambientais, sociais e culturais.

O projeto é assinado pelo escritório Oliveira Cotta, selecionado por incorporar o conhecimento de arquitetura passiva, proporcionando uma maior eficiência energética ao projeto, além dos outros pilares de sustentabilidade.

O projeto buscou a certificação do Referencial GBC Brasil Casa®, atingindo o nível Ouro. Seguir o Referencial avaliza o projeto como uma referência em sustentabilidade, já que a certificação perpassa todos os conceitos de sustentabilidade, estabelecendo padrões mundialmente reconhecidos em cada categoria.

A escolha do terreno foi  fator predominante para o partido adotado no projeto. O terreno tem uma vista muito  ampla e agradável para áreas verdes , onde  as grandes esquadrias de vidro proporcionam  transparência e trouxeram para dentro da casa toda a paisagem externa,  além  também de grande luminosidade  e ventilação natural.

Apesar do terreno ser em declive, o partido adotado foi privilegiar a vista e desenvolver os ambientes principais da casa num único pavimento, sem desníveis.  É uma casa térrea , porém com um subsolo de apoio que propicia total acessibilidade.

A incidência solar  foi toda planejada com a proteção das fachadas por meio de platibandas e brises que deram uma característica bem moderna e  arrojada à residência.  O revestimento das fachadas e telhados também  colaboram para que os índices de absorbância e refletância proporcionam um conforto ambiental interno muito agradável.  A aplicação da simulação energética computacional foi uma grande aliada na definição  desses itens .

Por ser um terreno de esquina e dentro de um condomínio, a casa tem uma grande  área externa de jardim  que foi todo projetado com plantas do ecossistema local , adaptadas ao clima e ao regime pluvial  além de dispor de um sistema de irrigação  automatizado que utiliza água de chuva que fica armazenada na cisterna .

Na busca da eficiência energética e sustentabilidade foram implementadas muitas técnicas, a primeira e mais importante foi realizar um projeto considerando os conceitos de arquitetura passiva, conceito este que usa das estratégias de projeto para reduzir o consumo de energia da construção. Na residência Tânia Trajano este consumo foi reduzido em 81,5% em relação a uma casa convencional somente aplicando-se as técnicas da arquitetura passiva (este coeficiente de redução é determinado pela simulação energética). Além disso, foram utilizadas, placas fotovoltaicas para transformar energia solar em energia elétrica, placas solares para aquecimento da água das torneiras e chuveiros, coletores solares para  água da piscina, iluminação com eficiência superior a 75 lm/w, sistema de automação que controla os locais de acendimento de luz gerando também uma grande economia por evitar que qualquer ambiente fique com as lâmpadas acesas sem necessidade .

No quesito consumo eficiente de água, foram utilizados redutores de vazão  e aparelhos hidráulicos eficientes para se manter uma vazão de 6 l/m em torneiras, chuveiros com injeção de ar limitando a vazão a 12 l/m,  reduzindo-se assim o consumo de água.

A preocupação com a responsabilidade social do empreendimento fez com que a proprietária procurasse causar o mínimo impacto ambiental, tomando medidas que não a beneficiam diretamente, mas sim a coletividade. Na execução do projeto foi adotado como diretriz maximizar a permeabilidade do terreno e foi instalado um sumidouro aumentando a capacidade de retenção de água dentro do próprio terreno, evitando assim o alagamento das  áreas lindeiras. Além disso, todos os resíduos da obra, 100 % , foram enviados para unidades recicladoras com licença ambiental de funcionamento, desviando-se assim, resíduos de aterros sanitários.

A ferramenta  Projeto integrado e a presença de profissionais acreditados em certificação foi fator determinante para agregar a equipe de projeto e obra no mesmo objetivo além de transformar toda a equipe em elementos multiplicadores do conceito de sustentabilidade e eficiência energética.

Ficha Técnica

ÁREA DO TERRENO 1.000,63 m²
ÁREA CONSTRUÍDA 429,09 m²
ÁREAS PERMEÁVEIS 520,00 m²
CISTERNA PARA ARMAZENAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA 20.000 L
PAISAGISMO PLANTAS NATIVAS 100%
RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO RECICLADOS OU REUTILIZADOS 100%
ENERGIA FOTOVOLTAICA:
Produz 70% do consumo (média)
PRODUÇÃO: 610 Kwh/mês
CONSUMO: 850 Kwh/mês
ÁGUA IRRIGAÇÃO 100% NÃO POTÁVEL
DESEMPENHO ENERGÉTICO APRIMORADO 81,5%

 

Equipe Técnica

Projeto Arquitetônico:
Escritório De Arquitetura Oliveira Cotta e TâniaTrajano
(@oliveiracotta.arquitetura)
(@ambience.arq.br)

Construtora Mauricio Lattaro:
Eng. Elio Carosio Neto
(@construtoramauriciolattaro)

Estagiária de engenharia:
Camila Marcocci
(@camarcocci_)

Gestão Integrada, Certificação de Projeto, Simulação Energética:
Macke Engenharia e Construções
(@macke.in @angelamacke)

Projeto Estrutural:
Eng. Gualter Afonso
(gaengenhariadeestruturas.com.br)

Projeto Elétrico e Hidro-Sanitário:
Solar Engenharia e Tecnologia
(solarengetec.com)

Projeto de Automação:
Controllar Automação residencial
(@controllar_automacao)

Projeto de luminotécnica:
Bonaluce Iluminação e Projetos
(@bonaluceiluminacao)

Projeto de Paisagismo:
Arq. Paisagista Flavio Tonico
(@flaviotonico)

Projeto de Irrigação:
Eng. Juliano Henrique Liolino
(@irrigarsistemasdeirrigacao)

Projeto Fotovoltaico:
Eng. CarlosTadashi Akimoto
(@didaisolar)

Decoração sala / Cozinha gourmet:
Cristiana Nassralla Interiores
(@cristiananassralla)